domingo, 26 de fevereiro de 2012

como a fantasia de um sonho


    Em sua jornada, ouviu falar do desgosto de seu pai, muito pungente depois de seis anos, e seu coração gentil foi afetado pelo amor intensificado. "Porém", falou ele ao portador da notícia, "é tudo como a fantasia de um sonho, retornando ao nada rapidamente... Amor de família, sempre prendendo, sempre afrouxando; quem lamenta tais separações constantes o bastante? Todas as coisas que existem devem perecer com o tempo... Então, como a morte permeia o tempo todo, livre-se da morte, e o tempo desaparecerá...

                                                                                                   Jack Kerouac
                                                                          em "Despertar: uma vida de Buda", da L&PM

Nenhum comentário: