sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Tara auto-manifestada



    Em Pharping no Nepal, existe um pequeno Templo dedicado a Tara e Ganesha. Há alguns anos atrás, um yogi descobriu que imagens das duas deidades estavam surgindo em uma pedra. Logo foi feito uma pequena cobertura para proteger a pedra, mais tarde um pequeno Templo foi construído com a ajuda financeira dos devotos, que a cada ano visitavam o lugar em maior numero.

    No centro da pedra fica a imagem de Ganesha, ao seu redor podemos ver uma imagem completa de Tara e novas imagens surgindo. Faces, pernas e tronos de lotus já estão visíveis e os monges que fazem pujas no local acreditam que as 21 Taras se manifestarão ali.


Stupa e o Potala

Lhasa -Tibet, começo do século passado.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Kangyur Rinpoche


    Longchen Yeshe Dorje nasceu em Kham, no Tibete oriental, em 1898. As suas qualidades espirituais manifestaram-se desde a infância. Estudou com alguns dos maiores Mestres espirituais do seu tempo, tais como Jedrung Rinpoche Trinle Jampa Jungne (ele próprio um discípulo de Jamyang Khyentse Wangpo e de Jamgön Kongtrul Lodro Thaye) e Jamgön Mipham Rinpoche. Longchen Yeshe Dorje foi um grande erudito e um Terton,  descobridor de tesouros espirituais. Uma das suas atividades mais extraordinárias foi a transmissão oral do Kangyur, o cânone das escrituras Budistas que consiste em mais de uma centena de volumes, o que fez por mais de trinta vezes. Por esta razão, passou a ser conhecido como Kangyur Rinpoche.




    A vida de Kyabje Kangyur Rinpoche teve dois períodos distintos. A primeira metade foi dedicada ao estudo e a prática. A sua diligência no estudo não tinha paralelo e tornou-se uma autoridade respeitada, não só em relação aos ensinamentos de todas as escolas do Budismo Tibetano, como também em relação a muitas outras áreas do conhecimento, tal como a Medicina (Kyabje Kangyur Rinpoche era médico), a astrologia e as ciências naturais. Em paralelo, Kyabje Kangyur Rinpoche combinava a enorme erudição com uma grande disciplina na prática espiritual, adquirida após longos retiros. Estas qualidades levaram-no, desde muito cedo, a ser o Abade do monastério de Riwoche, em Kham, um importante centro da tradição Rime, não sectária, onde eram praticadas as linhagens Nyingma e Taklung Kagyu do Budismo Tibetano. No entanto, optou por deixar o monastério, adotando uma vida  eremita no Tibete e na região dos Himalaias, onde recebeu ensinamentos preciosos e coletou raros livros e manuscritos. 

    No segundo período de sua vida, Kyabje Kangyur Rinpoche casou com Jetsün Jampa Chökyi (Ama-la), com quem teve seis filhos : Rigdzin-la, Yangchen-la, Taklung Tsetrul Pema Wangyal Rinpoche, Chökyi-la, Rangdröl Rinpoche e Jigme Khyentse Rinpoche (por ordem de nascimento).
Este período caracterizou-se por uma enorme humanidade e dedicação aos outros, em particular aos mais necessitados, como os doentes, idosos e órfãos, bem como à transmissão de preciosos ensinamentos espirituais. Prevendo a invasão do Tibete, Kyabje Kangyur Rinpoche deixou o pais com a sua família e uma coleção de livros de inestimável valor antes de 1950. Instalou-se em Darjeeling na Índia, onde fundou o mosteiro Orgyen Kunzang Chokhörling e foi um dos primeiros grandes Mestres Tibetanos a aceitar estudantes ocidentais e a expressar o desejo de estabelecer centros no Ocidente.


    Kyabje Kangyur Rinpoche foi também um escritor prolífico, sendo uma das suas maiores obras A Quinta-Essência das Três Vias (traduzido do Tibetano para Inglês pelo Grupo de Tradução Padmakara e publicado por Shambala, 2001), que comenta o texto Tesouro de Preciosas Qualidades de Rigdzin Jigme Lingpa. Este comentário é considerado um guia indispensável para todos os que tenham interesse genuíno no Budismo. Outro dos trabalhos seminais de Kyabje Kangyur Rinpoche é o seu comentário do texto Carta a um Amigo, de Nagarjuna (traduzido do Tibetano para Inglês pelo Grupo de Tradução Padmakara e publicado por Snow Lion Publications, 2006).
Muito mais do que estas breves palavras podem expressar relativamente à sua vida e atividade, a existência de Kyabje Kangyur Rinpoche foi um paradigma perfeito sobre a forma de integrar os ensinamentos do Buda na vida diária.

Kyabje Kangyur Rinpoche e Jigme Khyentse Rinpoche

fonte Fundação Kangyur Rinpoche




terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Bodisatvas a caminho do Brasil

 Ainda sob as bençãos da passagem de Sogyal Rinpoche por terras brasileiras, podemos começar a nos preparar para mais algumas visitas auspiciosas em 2011. Já confirmaram presença:

Sua Santidade Dalai Lama, 
chega em setembro de 2011.

Sua Santidade Sakya Trizin,
 chega em julho de 2011.

Kalu Rinpoche,
 chega em setembro de 2011.


Chagdud Tulku Rinpoche

Já ouviu falar em oferenda de alegria?


S.E. Chagdud Tulku Rinpoche no Festival Planeta Atlântida, no Rio Grande do Sul em 1999.


domingo, 26 de dezembro de 2010

Sua Santidade Dudjom Rinpoche

Nascido, em 1904, numa família nobre da província de Pemakö, Kyabje Dudjom Rinpoche foi reconhecido aos três anos como a reencarnação de Dudjom Lingpa, um grande descobridor de Tesouros. Recebeu ensinamentos dos maiores mestres da sua época, podendo-se citar como seus mestres principais os nomes de Djedrung Thrinle Djampa Djungne, Phukong Tulku, Gyurme Ngedön Wangpo, Gyurmé Phende Özer e Minling Dordzin Namdröl Gyatso.
Aos quatorze anos deu pela primeira vez a transmissão do Rintchen Terdzö e compôs os seus primeiros escritos aos dezessete. Era considerado como a reencarnação, entre outros, de Guru Rinpoche e Yeshe Tsogyal. Dudjom Rinpoche foi reconhecido como o maior tertön do seu tempo e escreveu, ao longo da sua vida, mais de cinquenta volumes.
O seu estilo único é um misto de erudição e inspiração poética, numa linguagem direta e colorida que cativa e inspira. É particularmente conhecido pela clareza com que exprime os ensinamentos da Grande Perfeição. Sua Santidade o Dalai Lama nomeou-o chefe espiritual dos Nyingmapa em 1959, quando já estava no exílio.
Fundou numerosos mosteiros e centros de prática no Butão, Nepal, Sikim, Ladakh, Taiwan, Hong Kong, Estados Unidos e França. Foi também sob a sua autoridade espiritual que se iniciaram os retiros de três anos organizados por Tsetrul Pema Wangyal Rinpoche em Dordogne (França). Dudjom Rinpoche faleceu em sua casa em Dordogne a 17 de Fevereiro de 1987.
O seu kundung permaneceu na França durante um ano, depois foi levado para o Nepal onde está conservado no interior de uma Stupa em seu templo de Bouddhanath.

sábado, 25 de dezembro de 2010

S.S. Chatral Rinpoche

    

    Há uns 9 anos atrás, ouvi S.E. Chagdud Tulku Rinpoche dizer que Chatral Rinpoche era um dos mais realizados mestres da escola Nyingma.

    Chatral Sangye Dorje Rinpoche  é um renomado mestre Dzogchen de 97 anos de idade. Ele é um yogi conhecido por sua grande realização e disciplina. Rinpoche é um dos poucos discípulos vivos do grande mestre Khenpo Ngaga (Khenpo Ngagchung, Ngawang Palsang. 1879-1941) e é reconhecido como um dos mais realizados yogis dos ensinamentos Dzogchen.

    Khenpo Ngaga realizou que Chatral Rinpoche era muito especial e o reconheceu como um de seus discípulos mais próximos afirmando que "a mente dele e a minha não são diferentes". Ele o abençoou com o nome "Chatral Sangye Dorje", que significa " Buda Indestrutível que abandonou todas as atividades mundanas".

    A primeira vez que a perfeição de Chatral Rinpoche foi revelada aos outros foi numa grande cerimônia consumada no Monastério Kathok, assistida por vários eminentes lamas sentados em pomposos tronos. Chatral Rinpoche estava sentado nos fundos do monastério, numa simples almofada de meditação ao lado de centenas de monges. Durante a cerimônia, Khenpo Ngaga afirmou:

    Entre todos vocês que estão aqui hoje, há menos de dez pessoas que possuem um décimo de minha realização. Há menos de cinco que possuem metade de minha realização. Finalmente, há apenas uma única pessoa aqui cuja realização não é diferente da minha e ele é Chatral Sangye Dorje. Ele agora pode me representar, transmitir os ensinamentos e seus méritos são equivalentes aos meus.

    A declaração causou grande agitação no templo. Após a cerimônia, pessoas vieram parabenizar Chatral Rinpoche. Imediatamente começaram as preparações para honrá-lo por seu novo status. Todavia, Rinpoche não se sentiu à vontade com tanto elogio e atenção e, no meio da noite, resolveu furtivamente deixar o templo com sua tenda para praticar sozinho em local ermo. No dia seguinte, encontraram o seu quarto vazio, sem qualquer indicação de onde teria ido. Mais uma vez, viveu de acordo com o significado de seu próprio nome, que significa "eremita".

    Além de seu relacionamento com Khenpo Ngaga, Chatral Rinpoche também estudou com alguns dos mais gabaritados mestres, incluindo Dudjom Rinpoche, Jamyang Khyentse Chokyi Lodro e a famosa dakini Sera Khandro. Rinpoche é um dos detentores do Longchen Nyingthig, a linhagem que descende de Jigme Lingpa para Jigme Gyalwe Nyugu e daí para Patrul Rinpoche.




    Chatral Rinpoche dispensou envolvimento institucional e político por toda a sua vida, escolhendo, ao invés disso, uma vida solitária como um iogue errante. Até hoje, apesar de sua avançada idade, ele se preocupa em manter uma estrita disciplina no contexto da visão Dzogchen. Ele é especialmente conhecido por advogar o vegetarianismo e por sua prática anual de resgate e salvamento de milhares de peixes na Índia. Rinpoche enfatiza a prática de salvamento de vidas como um poderoso meio de acumulação de méritos e remoção de obstáculos à longevidade, saúde e prosperidade dos seres:

    Faça todo o esforço para não matar qualquer ser vivo: pássaros, peixes, gazelas, vacas e até mesmo pequenos insetos. Ao invés disto, ocupe-se de salvar a vida deles oferecendo proteção em face de todos os perigos. O benefício desta ação está além da imaginação. Esta é a melhor prática para a sua própria longevidade. E o mais grandioso ritual para os vivos ou mortos. É a minha principal prática para beneficiar os outros. Ela dissipa todos os obstáculos e adversidades externos e internos.Sem esforço e espontaneamente, traz condições favoráveis. E, quando inspirada pela nobre mente de bodhicitta e selada com preces puras de dedicação e aspiração irá levá-lo à completa iluminação e à realização do seu bem-estar e o dos outros. Disto você não precisa ter qualquer dúvida!

    Além de enfatizar a união da visão e conduta, Rinpoche também acentua a prática do retiro. Ele fundou vários centros de retiro por todo o Himalaia, incluindo locais como Pharping, Godawari e Darjeeling.
    
    Rinpoche concentra suas atividades entre Salbari, Índia e Kathmandu, Nepal. Ele tem duas filhas, Tara Devi e Saraswati com sua esposa Kamala.




sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

S. S. Dudjom Rinpoche


Quietamente começando.
Postando duas fotos históricas.
Ao centro das duas S.S. Dudjom Rinpoche.
Algumas biografias citam a data de hoje como a de nascimento de S.S. Dudjom Rinpoche.
Sendo hoje ou não, deixo aqui minha profunda gratidão por este grande ser.
Que tudo possa ser auspicioso.


 Kalimpong, India 1962


Chatral Rinpoche, Dudjom Rinpoche & Dilgo Khyentse Rinpoche